Está pensando em adquirir um imóvel? O primeiro ponto a ser analisado é a forma de pagamento. Mas se você não possui a renda necessária para a compra à vista, optar por formas de parcelamento é uma alternativa. Para te ajudar nesse processo, trazemos mais informações sobre duas formas de comprar o seu novo lar: financiamento ou consórcio.

Consórcio imobiliário

Essa modalidade de pagamento consiste em um grupo de pessoas com o propósito de comprar um imóvel. O consórcio de um imóvel funciona como os outros de carro ou moto e mensalmente, os participantes pagam o valor estipulado para que todo mês uma pessoa seja contemplada. Essa opção pode ser demorada, pois você terá que contar com a sorte. Por isso, se tiver pressa em adquirir um empreendimento, essa não será a melhor escolha.

Mas, uma das grandes vantagens é que para participar não precisa comprovação de renda, visto que, se o integrante não pagar a parcela mensal, deixa de fazer parte automaticamente. Além disso, não são cobrados juros. Por outro lado, taxas, seguros e fundos de reservas serão pagos à empresa administradora do consórcio. Esses custos já vêm inseridos na parcela mensal.

O valor pago todo mês é estabelecido na assinatura do contrato de adesão. Quando o grupo já possuir uma quantidade mínima de membros, os sorteios começam a acontecer. Se você quiser ter mais chances de ser sorteado, pode optar por fazer lances. Quanto maior o lance, maior será sua chance de ser contemplado no mês seguinte.

Inicialmente, para aderir ao consórcio não é preciso comprovar renda, mas depois de sorteado é necessário que seja feito a análise de crédito pela administradora. Essa validação é primordial para avaliar se o sorteado do mês terá condições de arcar com as parcelas restantes. Depois disso, você estará apto a adquirir o seu imóvel.

Financiamento

Já o financiamento é a opção de empréstimo ofertada pelos bancos e funciona melhor para quem tem pressa em morar. Nesse tipo de pagamento, você faz o empréstimo junto ao banco e passa a pagar as parcelas para a instituição. O contrário do consórcio, no financiamento algumas exigências precisam ser seguidas. Para dar entrada no processo é preciso que você já tenha 18 anos, comprove renda, seja brasileiro, esteja com o nome sem restrições e passe por uma análise de crédito feita pelo banco. Se tudo estiver nos conformes, o negócio é aprovado.

Após liberação do empréstimo, o banco efetua o pagamento para o vendedor e você passa a ter a dívida diretamente com o banco pelo tempo definido na assinatura do contrato. Uma das grandes vantagens do financiamento é o prazo de pagamento. Com o tempo maior para a quitação, as parcelas são mais acessíveis. Enquanto no consórcio, você teria entre 10 e 15 anos, no financiamento, o prazo pode chegar até 35 anos.

Nessa modalidade de pagamento, você também pode dar uma entrada. Quanto maior o valor inicial, menor será a parcela mensal. Além disso, é possível financiar um imóvel por meio de programas habitacionais como o Casa Verde Amarelo, atual programa habitacional do Governo Federal que substituiu o antigo Minha Casa Minha Vida.

Existem também outras opções de financiamento que podem ser direto com a construtora ou por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Para saber mais sobre os tipos de financiamentos, explicamos melhor nesse link https://construtoraandradejunior.com.br/tipos-de-financiamento-imobiliario-qual-e-o-ideal-para-voce/.

Se você já quer um imóvel para morar ou apenas investir, com essas informações, agora já é possível escolher a opção que mais se encaixa para a sua necessidade.