Como funciona o subsídio do programa Minha Casa Minha Vida?
Tempo de leitura: 3 minutos

Há 20 ou 30 anos, comprar um imóvel parecia um sonho distante. Nesse sentido, o subsídio Minha Casa Minha Vida facilitou bastante para quem tem baixa renda, pois oferece parcelas com valor reduzido.

Concedido pela Caixa Federal, ele foi criado para ajudar as famílias de baixa renda a adquirir um imóvel e, assim, sair do aluguel. O montante é calculado com base na renda bruta familiar, mas esse não é o único critério para a concessão, e aí costumam surgir questionamentos.

Caso você pretenda comprar sua casa e saber se o Programa Minha Casa Minha Vida é o ideal, continue a leitura e fique por dentro do tema!

O que é o subsídio Minha Casa Minha Vida?

O Minha Casa Minha Vida é um programa de subsídio do governo federal exclusivo para a aquisição da primeira casa ou apartamento. Apesar de direcionado a famílias com poucos recursos financeiros, ao contrário do que muita gente pensa, ele disponibiliza descontos na compra para diversas faixas de renda.

O subsídio pode ser usado para diminuir as parcelas do financiamento imobiliário, mas não é proibido na entrada para compra do imóvel. Ou seja, se a pessoa conseguiu o direito a R$ 25 mil de subsídio, por exemplo, e o imóvel vale R$ 125 mil, ela deve desembolsar R$ 100 mil e, via de regra, em suaves prestações que caberão no seu bolso.

Quem tem direito ao subsídio?

Cidadãos brasileiros ou naturalizados, com 18 anos ou mais, sem imóveis registrados e jamais beneficiados pelo programa têm direito ao subsídio do Minha Casa Minha Vida. Também é necessário ser livre de dívidas com a União.

Além disso, cidadão e família não podem ter renda bruta superior a R$ 9 mil. Entretanto há quatro faixas de renda às quais o programa se presta, e para cada uma delas existe determinado limite. Veja a seguir.

Faixa 1

A faixa 1 corresponde a famílias com até R$ 1,8 mil de renda bruta mensal. Elas têm direito a até 90% do valor total do imóvel e uma parcela de no máximo R$ 270.

Faixa 1,5

Essa faixa compreende as famílias com renda bruta de até R$ 2,6 mil, com direito a um subsídio de até R$ 47,5 mil.

Faixa 2

Para famílias com renda bruta mensal de R$ 2.601,00 até R$ 4 mil, o valor do subsídio pode chegar a R$ 29 mil.

Faixa 3

Famílias que ganham além dos R$ 4 mil não têm direito ao subsídio, mas caso recebam até R$ 9 mil de renda bruta ganham acesso a taxas de juros abaixo das praticadas no mercado.

Contudo, como você deve ter percebido, falamos em subsídio máximo. Ou seja, o cálculo do valor exato que a família recebe de desconto depende de diversos outros fatores, como número de dependentes, localização do imóvel, tipo de imóvel, construtora, déficit habitacional do município etc.

Como solicitá-lo?

Para solicitar o subsídio, as famílias que se enquadram na faixa 1 devem se cadastrar na Prefeitura do município onde residem e aguardar o sorteio para os imóveis disponíveis.

Já as que se encaixam nas demais faixas precisam procurar a Caixa Federal diretamente. O banco então faz uma análise da renda, determinando o montante do subsídio e a taxa de juros.

Não há pegadinha nenhuma: o subsídio Minha Casa Minha Vida é a forma mais segura e econômica de financiamento da casa própria para a população de baixa renda.

Esperamos ter esclarecido algumas das suas dúvidas a respeito do assunto. Se gostou do texto, compartilhe com os amigos nas suas redes sociais!