Entenda como se inscrever no programa MCMV para realizar o sonho da casa própria
Tempo de leitura: 3 minutos

Nada mais importante para realizar o sonho da casa própria do que entender como se inscrever no programa Minha Casa Minha Vida. Nesse post, vamos te mostrar em detalhes tudo o que você precisa saber para não errar na hora de conseguir o empréstimo que precisa para compra do seu primeiro imóvel.

Lendo esse texto, você ficará mais perto do seu sonho ao entender tudo o que precisa para realizá-lo. Então, continue com a leitura e confira o que reservamos para você!

Como fazer a inscrição no Minha Casa Minha Vida?

Tanto as famílias com renda de até R$1.800,00 ou aquelas que ganham acima desse valor e até R$7.000,00, é possível ir diretamente até uma agência da Caixa Econômica Federal e avaliar as condições de financiamento disponíveis.

Os documentos que são pedidos no Minha Casa Minha Vida são:

  • Registro Geral (RG);
  • Cadastro Pessoa Física (CPF);
  • ficha de cadastro habitacional preenchida na prefeitura ou fornecida pela Caixa para quem tem renda acima de R$1.800,00;
  • holerite dos últimos 6 meses;
  • extrato recente do FGTS;
  • declaração de Imposto de Renda;
  • cópia da Carteira de Trabalho e também da certidão do Estado Civil;
  • comprovante de despesas como água, luz, água e aluguel.

Os detalhes não acabam por aí. Existem alguns requisitos para que a inscrição seja aceita que você verá adiante.

Quais são os requisitos?

Existem algumas condições para que você seja inscrito no programa Minha Casa Minha Vida, como:

  • habitar em um município com no mínimo 50 mil moradores;
  • não pode ser proprietário de imóvel, nem estar financiando um ou possuir material de construção;
  • deve estar cadastrado no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social);
  • não ter recebido benefícios de programa habitacional;
  • não poderá também estar no Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT), tampouco no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (CADIN);
  • também não pode ser arrendatário do Programa de Arrendamento Residencial (PAR);
  • pessoas que trabalham ou são casadas com quem é funcionária da Caixa não podem participar do programa.

Quem tem renda entre R$ 1.800,00 até R$ 7.000,00 ainda deve estar atento ao fato de que os limites de valor financiado para cada região do Brasil podem variar. Confira:

  • região metropolitana de São Paulo, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal: até R$ 145 mil;
  • região metropolitana de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo: até R$ 140 mil;
  • no Centro-Oeste (exceto Distrito Federal): até R$ 135 mil;
  • no Norte e do Nordeste: até R$ 130 mil.

Fique atento a esses detalhes para se preparar adequadamente para as regras do programa. Isso facilitará o processo na hora de se inscrever e aproveitar as oportunidades.

Quais os documentos exigidos no Minha Casa Minha Vida?

Bom, depois de feita a inscrição e devidamente aprovada, existem uma série de documentos que serão levados em conta. Você deve apresentar:

  • contrato de compra e venda;
  • matrícula do imóvel atualizada;
  • certidão de logradouro fornecida pela Prefeitura.

Vale considerar, ainda, que o banco tem o direito de exigir outros documentos, sendo estes apenas os básicos. Portanto, já deixe pronto tudo o que for necessário para facilitar esse processo.

Como pode ver, é possível se preparar e aproveitar a oportunidades que o programa oferece para quem quer ter a casa própria. Agora que tem as informações certas, dê um passo à frente e realize esse importante objetivo.

Se gostou de saber como se inscrever no Minha Casa Minha Vida, compartilhe este post nas redes sociais. Muitas pessoas ainda precisam entender os detalhes desse processo.