Como funciona o financiamento pelo programa MCMV
Tempo de leitura: 3 minutos

Entender como funciona o financiamento habitacional pelo Programa Minha Casa Minha Vida permite que você se organize melhor para usufruir das oportunidades que podem surgir para você como comprador. É preciso saber em detalhes como utilizar tal possibilidade a fim de concretizar esse objetivo na sua vida.

Neste post, detalharemos tudo o que você precisa saber para financiar a propriedade que tanto quer de forma acertada. Então, continue lendo e aprenda!

Como o programa MCMV realiza a análise de crédito?

Um dos primeiros passos para quem quer financiar um imóvel pelo Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) é passar pela análise de crédito feita pela instituição, que é feita para averiguar como se dará o financiamento do imóvel desejado. Os principais requisitos levados em conta é se o uso do FGTS é cabível para a aquisição da propriedade e qual tipo de crédito seria o mais adequado de acordo com a sua renda.

Obviamente, a regra básica de que as parcelas do financiamento não devem ultrapassar 30% da renda bruta familiar é um preceito fundamental considerado na análise. Afinal, o banco não oferecerá uma linha de crédito maior do que você pode pagar, e por isso, você deve estar atento a esse detalhe na hora de buscar o financiamento de imóveis pela instituição financeira.

Como são os juros no financiamento de imóveis pelo programa?

Em qualquer banco que trabalha com o Programa Minha Casa Minha Vida, os juros vão de acordo com o valor do imóvel e da renda familiar. Em outras palavras, se você pode comprar uma casa ou apartamento mais caro e ganha bem, as taxas tendem a serem mais altas, já que o banco entende que você pode pagar mais.

Todavia, as condições que a Caixa Econômica Federal oferece está entre as melhores do mercado, com taxas de juros de apenas 5% ao ano e até 30 anos para pagar e subsídios de até 47,5 mil reais como acontece para famílias com renda até R$2.600,00.

Quais são as etapas do processo para que organizar toda a documentação?

Um ponto que leva muitas pessoas a serem reprovadas na análise da documentação feita pelo MCMV é a comprovação da renda. Profissionais autônomos, por exemplo, podem não saber como demonstrar devidamente o quanto ganham, fazendo com que suas propostas sejam reprovadas.

Por isso, saiba que, além de holerites, extratos bancários e declaração completa do imposto de renda, pode ser crucial preparar também a apresentação de contrato de prestação de serviços ou mesmo uma Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore), feita por um contador.

Além do mais, documentos primordiais, como originais e cópias de RG e CPF e os comprovantes de estado civil e renda do casal (se for o caso), são exigidos nesse processo. Vale lembrar que, depois de aprovada a documentação, o banco realizará a avaliação do imóvel por meio de um engenheiro, empresa ou arquiteto responsável por essa tarefa. Só então é que será redigido o contrato que dará início ao financiamento.

Como pode ver, não é difícil conseguir o crédito que precisa para realizar a compra de um imóvel e entender como funciona o financiamento pelo MCMV. Agora que você já tem as informações certas, aproveite para se organizar e dar um passo à frente rumo à concretização dos seus planos.

Se gostou de saber como funciona o financiamento de imóveis pelo Minha Casa Minha Vida, assine a nossa newsletter agora mesmo e continue por dentro do melhor conteúdo sobre o mercado imobiliário.